quarta-feira, 1 de abril de 2009

Odeio quem me tira a solidão sem me oferecer verdadeiramente compania...

Bem, hoje fazem 45 dias que estou aqui, na casinha nova, na vidinha nova. Além desse marco, vale registrar outro acontecimento importante. Mais informes do Sr. Dragão...
Vocês lembram que eu falei da luzinha amarela piscando, dos saltos no escuro, não é!? Então, hoje meus dentes encontraram o chão... No final de semana já tinha sido informada, por pessoas idôneas, de várias canalices dele. Não comigo, especificamente, mas acabavam chegando no mesmo ponto. Não fui a primeira a ser sacaneada pelo bofe, o histórico é considerável. Até aí, normal, nenhuma novidade. Mas mexeu muito, comecei a unir os pontinhos e fazer o desenho. Sim, virei lanchinho. Esse foi o primeiro soco no estômago.
Sou mulherzinha, sim, foda-se. Sou romântica, embora muita gente duvide, e sinto cada maldita célula doendo quando isso acontece. Não é meramente por não saber perder. Não estou reclamando o troféu de primeiro lugar. Me sinto uma criança esperando o ursinho que está pra lavar. Mesmo depois de todo esse tempo, depois das aparições e sumiços (ambos absolutamente sem explicação), ainda esperava um happy end. Mesmo depois de saber de tudo. Esperava que ele parasse com a brincadeira e viesse, ao menos, comunicar o veredicto. Pedir tempo tudo bem, achar que as coisas se resolvem por osmose e deixar a porta aberta, incomoda. Esperava que tudo fosse mais definitivo que realmente está sendo. Continuo sem saber qual o meu lugar nessa novela.
Sim, ele já pôs a fila pra andar. Sim, ela continua em movimento enquanto eu estou na espera. Sim, ela continua em movimento quando chega a minha vez. Sim, ela continua em movimento enquanto eu volto pro final dela. Ainda juntando os pontinhos, faz muito sentido aquelas desconfianças que eu tinha no final do ano.
Não sei se está com alguém no momento. Sei que foi suficientemente seguro pra me ligar no domingo, ainda que não claramente, prum deja vu. Declinei. Foi suficientemente seguro pra jogar com isso, dizer que eu devia estar com um "namoradinho novo" pra estar agindo assim (!!). Foi suficientemente seguro pra dizer que estava com ciúmes, e ficar em torno de 2 horas insistindo. Adiei pra 5ª. E agora, que soube de tanta coisa, espero os segundos passarem pra poder desfazer tudo isso.
Não é apenas despeito. Não é apenas tristeza. Nem sei se chega a ser arrependimento. Acho, no fundo, que é instinto de sobrevivência. Eu sei que vai passar, que toda essa frustração vai embora assim que eu encontrar outra coisa pra ocupar meus pensamentos. Talvez não tão rápido, mas estou me esforçando nesse sentido, mas ainda tenho tantas perguntas nessa história que não sei nem como sair dela. Não posso simplesmente dizer "Ok, baby, mudei de idéia e como você foi o fdp do ano não vai mais rolar. Tchau". Muito menos ficar me lamentando e cobrando mil coisas do ogro. Como é de costume, acabarei saíndo à francesa. Se não tem solução, solucionado está...

3 comentários:

Flávia D. disse...

Não sabia que tu tinha um blog Iza. Bom te ler, bom ter notícias tuas. Espero que td passe e você aproveite muito essa nova fase.
bjos querida e escreva sempre1

Huds disse...

Friedrich Wilhelm Nietzsche

nersaopixuri@gmail.com

AZF. disse...

Entrei "sem querer" no blog e gostei de mais do que li. Voltarei..escreva mais hehe =*